RH Magazine: Cultura organizacional em tempos de Pandemia

Se há tema que tem sido muito analisado e debatido na sequência desta pandemia é a cultura das organizações.

De uma forma simplista podemos dizer que a pandemia obrigou as empresas a perceber se as suas culturas tinham ou não a flexibilidade suficiente para mudar de forma rápida e se adaptar às novas condições porém, se quisermos fazer uma análise mais minuciosa ao tema da cultura organizacional percebemos, de uma forma muito linear, que a cultura que as empresas tinham instalada foi o que as tornou mais ou menos rápidas e mais ou menos adaptáveis aos tempos que surgiram.

Essa mesma cultura eficaz que muitas empresas construíram com dedicação e esforço ao longo dos anos foi, e está ainda, a ser ameaçada pelas circunstâncias: as reuniões semanais, o distanciamento físico, o almoço que deixamos de fazer juntos ou mesmo aqueles dois dedos de conversa que à passagem por um gabinete se mantinha.

Se tivesse que escolher o fator mais ameaçador com esta situação diria que o “coaching on job” ou, se quisermos, aquela possibilidade que a liderança tinha de corrigir trajetórias ou mesmo uma simples expressão, apenas conseguida quando se partilha um mesmo espaço, deixou de existir e, com ela, a visualização dos exemplos torna-se assim muito mais escassa por parte dos colaboradores. A modelagem, se quisermos.

Inúmeros estudos demonstram que mesmo em empresas com culturas estrategicamente alinhadas e fortes (partilhadas e valorizadas) esse facto não é suficiente no longo prazo a menos que a empresa tenha a capacidade de desenvolver uma cultura adaptativa em tempo real. A adaptabilidade da cultura reflete a capacidade de a empresa inovar, experimentar e tirar partido de novas oportunidades. Torna-se assim fundamental que os líderes continuem a cultivar as culturas das suas empresas ajudando as suas pessoas a manter o foco nas iniciativas mais importantes mesmo em face de desafios e mudanças permanentes.

Uma cultura adaptável torna-se assim um fator chave de sucesso nos tempos que vivemos. Deixo 2 sugestões para que a sua cultura se mantenha adaptável:

  1. Contratar e promover elementos resilientes, adaptáveis e que mantenham o animo mesmo debaixo de “fogo”. São estes que vão criar mudanças positivas.
  2. Partilhar exemplos de como a empresa está a aderir aos seus valores culturais através de novas práticas.Os novos comportamentos observáveis que espelham a nova realidade são fundamentais.

Possivelmente a sua organização adaptou-se a estes tempos de uma forma mais rápida do que alguma vez pensou. Reconhecer essa flexibilidade e rapidez junto das equipas ajuda a reforçar a cultura em tempos de pandemia.

A cultura de uma empresa determina os seus valores e são estes que resultam em comportamentos observáveis mas, é comum, com ou sem pandemia, as pessoas.

Nota: Artigo publicado na revista RH Magazine nº138 – Janeiro 2022.

GOSTOU? PARTILHE

Deixe uma resposta

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado.